• Buscando traçar um diagnóstico das políticas ofertadas diante do contexto de realização da Copa do Mundo, o Centro de Defesa da Criança e do Adolescente do Ceará (CEDECA) realizou um monitoramento da política de enfrentamento à violência sexual em Fortaleza, constatando um cenário de inúmeras violações.
  • A preocupação dos governos é com a “segurança” do evento e as medidas sendo tocadas em caráter de urgência são medidas de repressão das lutas e dos movimentos sociais que vem denunciando as grandes violações do Estado à serviço da FIFA. Nesse contexto o Fórum DCA vem se posicionar quanto a sua retirada do Comitê Local de Proteção Integral de crianças e adolescentes para não compactuar com as inverdades divulgadas pelo poder público municipal e estadual objetivando unicamente mitigar as críticas que lhe são direcionadas e sem real preocupação com as violações de direitos de crianças e adolescentes e dizer: não queremos copa e sim a prioridade absoluta para crianças e adolescentes todos os dias!
  • O processo de monitoramento da política de enfrentamento à violência sexual em Fortaleza apontou uma rede de atendimento desestruturada e constantemente afetada por cortes orçamentários, em contrapartida, investimentos com a Copa do Mundo assumem um status prioritário dentro do orçamento do Estado. Para apresentar os dados coletados no monitoramento e dar visibilidade às violações, o CEDECA Ceará realizará uma coletiva de lançamento do documento, que apresenta o contexto das políticas e dos equipamentos de atendimento às vítimas de violência sexual e a análise orçamentária.
Opções de doação mensal

desenvolvido por casa de bits